Notícias

Triptofano e depressão

triptofano.jpg

Precursor da serotonina, da melatonina e da niacina, o triptofano tem uma importância vital. Descoberto em 1901, é utilizado há várias dezenas de anos para aliviar a depressão, promover o sono ou ajudar a perder peso. Inúmeros estudos mostraram o interesse e a eficácia do triptofano, nomeadamente: para aumentar as concentrações de serotonina.

Esta desempenha um papel fundamental em múltiplas funções do organismo e, em particular, na depressão, na ansiedade, no humor e no controlo do apetite.

Por outro lado, não sendo a serotonina capaz de atravessar a barreira hemato-encefálica quando os seus níveis são insuficientes, apenas uma toma de suplemento em triptofano ou em 5-HTP, os seus dois precursores, permite elevar esses níveis de forma eficaz; ?quando estão stressadas, deprimidas ou ansiosas, muitas pessoas consomem grandes quantidades de hidratos de carbono.

Este mau hábito tem como consequências um aumento da serotonina cerebral e uma sensação temporária de bem-estar e de segurança, mas também um aumento das gorduras armazenadas. A toma de suplemento de triptofano melhora o estado psicológico sem causar um aumento das gorduras armazenadas; ?os primeiros estudos que utilizaram o triptofano para influenciar o humor datam dos anos cinquenta.

Em sujeitos que sofriam de depressão ligeira a moderada, a toma de um suplemento de triptofano revelou-se eficaz e sem efeitos secundários; ?o triptofano, associado ou não a uma fototerapia, é igualmente um tratamento eficaz para a desordem afectiva sazonal; ?em caso de insónia ligeira, o triptofano promove o sono e melhora a qualidade desse sono.

O L-triptofano e o 5-HTP são metabolizados em serotonina seguindo a mesma via metabólica. Apesar disso, algumas pessoas reagem melhor a um suplemento de L-triptofano do que de 5-HTP. Tal pode ter várias explicações: com um suplemento de L-triptofano, o organismo conserva o controlo da quantidade de serotonina produzida graças à enzima L-triptofano hidroxilase; ?com o 5-HTP, a produção de serotonina não é regulada, podendo uma parte entrar no intestino e provocar náuseas.

Por outro lado, como a serotonina não atravessa a barreira hemato-encefálica, a parte que se encontra fora do cérebro não será capaz de aí penetrar; ?em determinados sujeitos, determinadas doenças e, entre outras, uma depressão grave, podem bloquear a passagem do 5-HTP através da barreira hemato-encefálica, o que não acontece com o L-triptofano; finalmente, o L-triptofano é um aminoácido essencial indispensável para o bom funcionamento do organismo e, nomeadamente, para a produção de niacina.